segunda-feira, 27 de abril de 2020

Corona Vírus e o Conceito G0y

Esses dias estava a pensar e a refletir.

Os entusiastas dos inúmeros ataques gratuitos ao conceito g0y e que são baseados só em preconceito, em pré-conceito e na maioria das vezes em uma visão pró dicotomia (hetero x não hetero), ficam sem resposta diante da pandemia do COVID-19.

Primeiro um parêntesis, para já poupar o seu comentário negativo... SIM brother, por mais que tentem se fechar os olhos, quem ataca o comportamento g0y em absoluta maioria, também ataca ao comportamento bissexual, atacam a gouinage masculina, atacam na verdade é a qualquer comportamento sexual que não seja o do hetero extremado e ultrapasado ou do homo masculino extremado, que tope tudo sem limites.  E O PIOR, ainda tentam vincular o comportamento hetero à visão política de direita e o comportamento homo à visão política de esquerda.

Os primeiros pelo menos são honestos, são contra o cara dá a bunda e acabou, já os segundos particularmente acho piores, tem um discurso a favor da diversidade... mas que diversidade é essa que ataca a heteroflexibilidade? Hiprocrisia!

40 frases de hipocrisia para refletir se você tem feito o que diz

Eu não ataco e nem conheço nenhum g0y que ataque aos bissexuais, apenas não me considero um total bisex, fazer o quê...

Voltando ao começo e ao título do post.

AS MINHAS REFLEXÕES ACERCA DO CORONA VÍRUS levam a acreditar que:

- Eu era da ala mais conservadora e nunca curti "pagar boquete", isso na minha cabeça era sexo e o pior se rebaixar perante ao outro mano
- Mas esse vírus veio mostrar que estava errado! Como assim, porquê, hã?

Desde que conheci o movimento g0y, sabia que a filosofia considera que boquete não é sexo e que é só preliminar. Opa eu discordava, ora parecia tão óbvio que boquete  é sim sexo oral... mas porque considerava como sexo oral?  Ora  por pura lavagem cerebral e repetição que veio obviamente da nossa cultura .

A AIDS vem de um vírus é é uma DST - Doença sexualmente transmissível, correto?. YES, correto! A AIDS se transmite por sexo anal e/ou vaginal.

O CORONA VÍRUS que abalou o planeta agora em 2020, também é um vírus que no entanto não se transmite por via sexual. Todos os especialistas são unânimes em afirmar isso.
NO ENTANTO uma observação é que o corona se transmite perigosamente pela felação (ou seja, pelo boquete).

Aeh fique com a ideia e durma com esse barulho,
 você pode pagar boquete a vontade e a não ser em alguns casos excepcionais, como você estar com afta, feridas na boca, após um tratamento dentário ou várias coisas do tipo e com essa abertura, gozarem na sua boca,  via de regra o tal SEXO ORAL, apesar de  o chamarem assim não transmite
uma doença como a AIDS, cujo contágio é SEXUAL.

Por outro lado, o Covid-19  transmite-se pelo boquete (nesse momento de pandemia, EVITE-O, evite também beijos, apesar de serem tão bons),  por outro lado o Covid não se transmite pelo sexo e nem a medicina não o considera como DST.

E  qual é a resposta possível por puro e legítimo raciocínio lógico. A felação é sexo ou não é sexo?

Diante disso, fica muito difícil de se afirmar que felação seja sexo. 

Ou não fica? Haha, tente continuar dizendo que é, mas se explique nos comentários! Tope o desafio e verá que é difícil. Diante disso brothers, hoje considero em total harmonia mental o boquete como parte do comportamento homoerótico e não necessariamente do comportamento homossexual.





terça-feira, 7 de abril de 2020

XII CONAGES discutiu a questão g-zero-y

O g0y foi discutido em um congresso sobre sexualidade.

O Colóquio Nacional de Representações de Gênero e Sexualidades na sua 12ª edição que aconteceu na cidade de Campina Grande - PB, teve os temas mais clássicos da área, mas inovou e dentre os diversos trabalhos apresentados, dois apresentaram pesquisas, modelos e trouxeram também o tema g0y para a evidência.

https://www.facebook.com/movimentog0y/posts/1445933225432600
Disponibilizei alguns do slides apresentados para a página do Movimento g0y e também os publico aqui nesse momento para os leitores dos Blog, acrescentando meus comentários:

O Colóquio maciçamente discutiu temas vinculados ao movimento LGBT, mas nessa edição teve dois trabalhos envolvendo o tema g0y, o movimento não esquerdista e que não utiliza a bandeira do arco-íris.

O correto internacionalmente como oposto ao gay não é hetero como usamos no Brasil. O oposto ao ao comportamento gay masculino seria Straight.
Traduzindo para o português seria uma valorização do comportamento considerado RETO e do comportamento considerado TRANSVIADO.
A "orientação sexual" não é gay e/ou hetero, e sim homossexual e/ou heterossexual. Havendo a possibilidade para o homoafetivo.
Foi exposto desfazendo esse MITO. A DSM nunca classificou a homossexualismo como doença, indo em seus originais está explícito: O que foi classificado como doença foi a homossexualidade, ou seja consideraram distúrbio mental a atração entre o mesmo sexo e não propriamente os atos.  
Politicamente inverteu-se isso e "fazem caças as bruxas" ao termo homossexualismo, como sendo politicamente incorreto, por causa desse suposto episódio.  ENGANO!. Na década de 1950' foi o 'homossexualismo', mas sim a 'homossexualidade' que foi condenada. 
A França é um dos poucos países que não utiliza a lógica do gay vinculado ao sexo anal passivo e/ou ativo. E considera o gouine masculino, como gay zero. Pouco utilizado no resto do mundo, onde a lógica comportamental do ativo versus passivo, predomina.
 

O criador da palavra homossexual, ao criar o termo considerava dentro da homossexualidade (atração), os que praticavam o homossexualismo pleno (piguistas) e os que não o praticavam (masturbadores). Para karl-Maria desde aquela época, somente os piguitas, ou seja, os que praticavam o sexo anal é que eram considerados homossexuais

Escala de Kinsey, adaptada com a questão onde se encaixam os g0ys? Já que não são classificados exatamente como bissexuais, mas apenas soft-bi?

Nove possibilidade comportamento sexual e erótico masculino cis.

 O Trabalho completo está disponível para acesso on-line.


sábado, 7 de março de 2020

Acidente na brotheragem... Foi sem querer querendo...

Rachei de rir com esse vídeo.
O jeito que o muleke conta a história é massa demais  -:) 



Além disso brows tiro o chapéu para ele, além de disposto, engraçado o mano é muito CORAJOSO ! Parabéns!

terça-feira, 4 de fevereiro de 2020

Muito obrigado pelo convite.


Agradeço aos administradores do blog pelo convite para contribuir com o Blog Brasil G-zero-Y.  Fui convidado especificamente para postar sobre o g0y na CIÊNCIA, trazendo postagens, artigos, pesquisas atuais que sejam sobre o tema.

Também trarei assuntos correlatos para compartilhar com vocês, como o g0y ao longo da história da humanidade, achados arqueológicos, posicionamento político, etc. Todos com um teor acadêmico na medida do possível.

Para começo apenas para os leitores se situarem, apesar do programa não ter nada a ver com ciência e nem muito menos com algum tema relacionado à Universidade, eu o posto como primeiro dos posts  apenas para me apresentar para os leitores. Sou o 'brother' de vocês que foi convidado pra defender os g0ys no programa de TV da Luciana Gimenez.

Quem ainda não assistiu o programa quando foi ao ar, me apresento no vídeo abaixo estando no centro do debate/roda de conversa.



Muitos g0ys hoje afirmam que o programa estava enviesado, não teve a qualidade necessária e que não deu a mesma oportunidade de tempo para os dois lados:  O lado que defendia que g0y é g0y (ou seja, uma nova classificação homoerótica)  e o lado que defendia que g0y é gay (ou seja, defendiam a velha dicotomia straight x gay). Só para ficar mais claro, quem defendia que g0y é um novo comportamento que deve ser considerado sem preconceitos por parte da sociedade: Eu, Pedro, e sexóloga Carla Cecarello.


Mas, em que pese os detalhes, contudo o programa na TV aberta foi suficiente para dar maior visibilidade para os g0ys, um termo vinculado a  um tipo de comportamento/movimento que com mais de uma década ainda era (e ainda é) desconhecido da maioria da população e nisso também como lado positivo, abriu a possibilidade do autorreconhecimento de muitos como sendo homem com afinidades com esse estilo de vida.

-

domingo, 5 de janeiro de 2020

Você conhece um ator pornô 100% g0y ?


Resultado de imagem para cody cumings


Se não conhece, lhe apresento então, Cody, codidome desse profissional do pornô que se especializou desde o inicio da sua carreira no gênero - zero anal masculino - sendo hoje um profissional de grande projeção entre o público bissexual masculino e claro entre os heteros flexíveis (ou heterogoys), que curtem a pegação com homens com os limites já pré-estabelecidos entre as partes.

O ator hoje passeia pelos vários gêneros dentro do g0y (g-zero-y) e produz filmes:

- HETERO TRADICIONAL - Ele solo com uma mulher;

- HETEROGOY  - Ele interagindo especialmente no ménage masculino, ou em gangs;

- GØY  - Ele interagindo na luta de espadas e outras brincadeiras com manos;

- BI-PARCIAL - Parcial, porque nos filmes o ator sempre atua com o estilo zero anal masculino, mas ele aparece em alguns vídeos com convidados, onde os colegas do pornôs convidados completam o ato, e ele assiste as cenas bisex sem preconceitos. Há ainda vídeos onde o ator simula o coito "no famoso nas coxas";

- SOLO - Vídeos de masturbação e outros vídeos eróticos solo do ator.


Um pouco mais da biografia do ator: https://pt.wikipedia.org/wiki/Cody_Cummings



Onde você consegue ter acesso à sua produção?

Tem alguns vídeos gratuitos no PornHub: https://www.codycummings.com/

Alguns vídeos editados mais curtos e outros full em links do Xvídeos:
https://www.xvideos.com/video4028910/cody_cummings_fucks_pussy_hard
https://www.xvideos.com/model-channels/cody-cummings-1 

No próprio website do ator: https://www.codycummings.com/




quarta-feira, 25 de setembro de 2019

Um dia no Pub G0y em São Paulo



( foto real )

Para quem é g0y como nós, um endereço quente é a Goy House em SP.  Trata-se de Pub (ou seja, um bar que é voltado a um tipo de público específico), onde a galera g0y se reúne, o local diria que tem um estilo sofisticado, conta com dois pavimentos e fica próximo do metrô Tatuapé.

A menos de cinco minutos a pé do shopping e metrô Tatuapé na Zona Leste, só que não estamos autorizados a divulgar o endereço, pois a casa é aberta somente para cadastrados, a exemplos de outros locais g0ys no mundo.

Fomos lá o que podemos dizer?
- O bar é legal, bem iluminado, não tem aquela aparência de dark room de alguns bares que já fomos;
- O dark room de fato fica no primeiro andar, e é no clima de penumbra que muita gente se solta pela primeira vez
- O lugar da casa que achei super maneiro é uma especie de mini labirinto, onde passa filme pornô só heterogoy e tem cabine de toque, onde casais no dia que fui entravam e deixavam passar a mão tanto na namorada e como no namorado e a pegação esquentava.

Os preços do bar também são super em conta, sem aquela exploração típica de casas noturnas.

Confira como participar em: http://goyhouse.com/




terça-feira, 14 de maio de 2019

Desafio segure uma coca com seus peitos

O #HoldACokeWithYourBoobsChallenge bombou nos Estados Unidos, várias fotos e vídeos circularam por toda internet.

O desafio foi baseado em segurar uma lata entre os peitos sem deixar cair, o que fez a alegria dos cuecas bofes pelo mundo inteiro. rsrs
Aqui trouxemos um vídeo que faz uma compilação dos mais vistos. Apreciem sem moderação ;):)


quinta-feira, 7 de fevereiro de 2019

TOP MATÉRIAS 5 – G0Y NA MÍDIA (Jornal Blasting News)


O Jornal Blasting News produziu até o momento (jan/2019) três matérias sobre o comportamento g0y. Uma inicial e mais fraquinha sobre a filosofia g0y, outra bem melhor sobre a notícia da inauguração do bar g0y em São Paulo e esta última mais recente, que consideramos a mais Top, pelo seu tom sério, didático e imparcial: Por que os g0ys não são considerados gays.



Link para acesso à matéria Em Prol da Diversidade:



quinta-feira, 31 de janeiro de 2019

TOP MATÉRIAS 4 – G0Y NA MÍDIA - Professor de Psicologia fala sobre a identidade g0y (em Rádio)


Em um pool de rádios da Paraíba (2016), havia uma mesa redonda que debatia o casamento e suas dificuldades. Quando pegando a todos de surpresa, uma ouvinte liga e pergunta para os participantes da mesa: Sou casada há três anos e queria saber o seguinte. Como eu devo lidar se o meu marido for heterogoy? Eu devo me separar? Ele quando bebe agarra os amigos, sabe... e fico na dúvida. Ou será que o meu raciocínio está correto, pois queria continuar casada pois ele é um bom marido, dizem que heterogoy não seria gay. Eu tenho dúvidas vocês podem me explicar.



Primeiro teve uns dois a três minutos de bate rebate, ninguém se sentindo confortável em responder à pergunta da ouvinte, quando então o professor de psicologia entra em cena e explica o que seria o g-zero-y (g0y) e o heterogoy da pergunta. Explica de uma forma muito didática para todos entenderem. Um dos ouvintes conseguiu gravar o áudio do professor e encaminhou para nosso brother Cláudio LaPaz do Somos G0ys. Assim para nossa sorte foi colocado no YouTube, e além do  Nordeste, o Brasil e o mundo que saiba português! pode ouvir o áudio. Dê o seu Like!

quinta-feira, 24 de janeiro de 2019

TOP MATÉRIAS 3 – G0Y NA MÍDIA (Coluna do Sexólogo B. Rosostolato)



Coluna do sexólogo Breno Rosostolato, expõe de forma muito bacana o seu ponto de vista sobre quem são os g-ZERO-y!

O texto, foi um dos mais lidos em 2014 no portal Top Vitrine, Mato Grosso do Sul. Atualmente fora do ar. Consegui localizar esse 'backup' uma espécie de republicação no seguinte link:

quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

TOP MATÉRIAS 2 – G0Y NA MÍDIA (Revista Saúde Plena)


Matéria da jornalista Carolina Samorano. A reportagem foi replicada em diversos canais de mídia vinculados ao Correio Braziliense ( Jornal mais popular de Brasília ) - sendo capa de um caderno extra que circulou impressa em uma edição de domingo e partir daí passou a constar em diversos sites da rede, incluindo o website saúde plena.

Sem preconceitos, muito bem escrita, trata-se de matéria isenta e que ilustrou muito bem o mundo g-zero-y:



"Alguns são casados, outros solteiros. Há quem fique só com homens, há quem prefira as mulheres, há quem se divida entre os dois. Os goys são homens que se relacionam com homens sem, no entanto, que isso os defina como homossexuais"... assim começa a matéria intitulada 'Entenda os termos g0y e bromance' clique no link abaixo para ler mais:

Reportagem disponível na íntegra em: https://www.uai.com.br/app/noticia/saude/2014/10/06/noticias-saude,191441/entenda-os-termos-goy-e-bromance.shtml